O que são Títulos Públicos?

103
163
Caixa Forte

Quando pensamos em investimentos, o banco é a primeira coisa que nos vêm à cabeça. Mas essa é a opção mais segura de investimento?

Não, a maneira mais segura para investir é emprestar dinheiro para o Governo. Para emprestarmos ao banco existe o CDB, e para emprestar ao Governo existem os Títulos Públicos.

O Governo Federal, através do Tesouro Nacional, emite títulos para financiar a dívida do país, isto é, a diferença entre os gastos e a arrecadação. Esses títulos podem ser pré-fixados, pós-fixados ou indexados à inflação e, assim como os CDB, têm um prazo de vencimento e um modo de remuneração já definidos no momento em que são emitidos.

Mas por que alguém emprestaria dinheiro para o governo?

A resposta é simples: porque o risco é muito baixo.

O Governo é equivalente a uma empresa muito grande, com grande geração de caixa, e por isso possui menos risco que uma empresa ou banco. No limite, o Governo dispõe de outros instrumentos para quitar suas dívidas, como por exemplo aumentar os impostos ou imprimir mais dinheiro.

Algumas pessoas podem ainda indagar: e por que o governo toma dinheiro emprestado se pode simplesmente imprimir mais dinheiro?

Ao imprimir mais dinheiro o governo estaria aumentando a quantidade/oferta de dinheiro na economia, reduzindo assim o seu valor e gerando inflação. Como os brasileiros estão cansados de saber, isso não é uma boa alternativa.

Tipos de Títulos Públicos

Existem diversos tipos de títulos públicos, mas vamos nos concentrar nos mais comuns. São eles:

LFT (Letras Financeiras do Tesouro): Títulos pós-fixados que são remunerados pela taxa Selic. O CDI, que remunera os CDB pós-fixados, acompanha a taxa Selic e não o contrário! E por razões técnicas, o CDI é um pouco menor que a taxa Selic corrente. Uma estratégia comum que emprega esses títulos é a reserva de emergência, já que possuem alta liquidez.

LTN (Letras do Tesouro Nacional): Títulos pré-fixados, ou seja, tem um valor fixo pelo qual serão resgatados na data do vencimento. Junto com as LFT, são os títulos mais comuns. Em geral são utilizadas em estratégias de curto/médio prazo, pois costumam render mais que as LFT. Também é comum em estratégias de investimento mensal.

NTN-F (Notas do Tesouro Nacional, Série F): Títulos pré-fixados como as LTN, porém com pagamentos de juros semestrais (cupons). A idéia central é a mesma da LTN, mas tem um tratamento matemático mais complicado. Em geral, tem um prazo de vencimento mais longo, mas não são tão atrativas para pessoas físicas por causa da tributação dos cupons.

NTN-B (Notas do Tesouro Nacional, Série B): Títulos indexados à inflação, corrigidos pelo IPCA e acrescidos de uma remuneração pré-fixada. Assim como a NTN-F, tem pagamentos semestrais de juros. É uma opção para quem quer proteção contra a inflação. Existe uma “variação” desse título no Tesouro Direto chamada NTN-B Principal, que não tem pagamentos semestrais de juros (cupons) e paga toda a remuneração acumulada no vencimento. A NTN-B Principal está para a NTN-B como a LTN está para a NTN-F, sendo bastante utilizada para objetivos de longo prazo, como aposentadoria ou faculdade dos filhos. Outra aplicação comum é em estratégias de investimento mensal.

Tesouro Direto

O Governo lançou em 2002 o Tesouro Direto, uma plataforma online que possibilita a qualquer cidadão que compre títulos públicos de maneira muito fácil. Um outro artigo fala especificamente sobre como funciona o Tesouro Direto.

A conclusão mais importante desse artigo é: se não existe nada mais seguro em um país do que emprestar para o Governo, nenhum investidor deveria aceitar qualquer alternativa de investimento que tenha expectativa de render menos que os títulos públicos, exceto pelos custos.

Infelizmente não é o que acontece: a poupança ainda é o investimento mais comum e é considerado como o mais seguro, o que não é verdade. Além disso, os bancos costumam disponibilizar diversos produtos que exploram a falta de conhecimento dos investidores.

Ulisses Nehmi é editor do Blog do Investidor e profissional da área de investimentos.

DEIXE UMA RESPOSTA

103 COMENTÁRIOS

  1. maravilhoso blog mais minha pergunta é seguinte
    queria saber qual melhor opção de investimento e por um acaso tem como por exemplo eu complementando exemplo todos mês eu demoro uma diferente ou tem como eu somar exemplo compro Títulos tem como eu compra gastando 200 e compra mesmo no mês seguinte com + 200 tornando 400 eu vai diversificando?
    esse mês eu compro um outro mês compro outro assim vai…?

  2. Olá, boa tarde. Eu, como investidor, sempre apliquei em Fundos referenciados em DI´s. O Banco me deu opção em diversificar em outros com lastros de NTNB´s. Ao comparar rentabilidades, os fundos DI´s performam em relacao ao CDI enquanto os lastreados em inflação, performam em relação ao IMA. Não consigo comparar os dois, ou seja, em relação às performances, qual está melhor que outro, visto que possuem “medidas” diferentes. POderia me explicar como posso compará-los?

  3. Boa tarde! Parabéns pelo site!
    Eu tenho R$ 10.000 para investir por 1 ano e pouco, mas nao sei ainda qual opção do Tesouro seria mais vantajosa para mim.
    Você poderia me indicar a com maior retorno? Sendo que vou levar o título até o vencimento. Se pudesse especificar com %a.a. agradeço muito!
    Abraço

  4. Ulisses,

    Atualmente o governo só oferece LTN com vencimento em janeiro de 2015 e 2016. Gostaria de investir vinte e cinco mil durante um ano e meio. De quanto em quanto tempo o governo oferece novos títulos para compra. Se os atuais vencem em 2015 e 2016, serão vendidos futuramente títulos com vencimento anterior a isso?

    Obrigado.

  5. ULISSES, BOA TARDE!

    VOCÊ PODERIA POR FAVOR ME TIRAR UMA DÚVIDAS? PORQUE OS ITENS ABAIXO PODEM PROVOCAR UM AUMENTOS NA INFLAÇÃO, NÃO CONSEGUI ENTENDER. PODEMOS CITAR AS SEGUINTES CAUSAS DA INFLAÇÃO:
    ? EMISSÃO EXAGERADA E DESCONTROLADA DE DINHEIRO POR PARTE DO GOVERNO;
    ? DEMANDA POR PRODUTO (AUMENTO NO CONSUMO) MAIOR DO QUE A CAPACIDADE DE PRODUÇÃO DO PAÍS;

    ? AUMENTO NOS CUSTOS DE PRODUÇÃO (MÁQUINAS, MATÉRIA-PRIMA, MÃO-DE-OBRA) DOS PRODUTOS.
    GRATA

    GLADIS

  6. Tenho algumas duvidas quantos aos títulos públicos, Ulisses:

    1- Se eu investir 1000,00 ao mês em títulos públicos durante 15 anos quanto seria o valor final obtido?
    2- É melhor investir em títulos que pagam semestralmente juros e reinvesti-los ou nos outros que pagam juros no final do vencimento?
    3- Para que eu possa ter rentabilidade mensal de 10.000,00 por mês investindo em títulos públicos durante um período de 15 anos, devo aplicar 1.000,00 ao mês ou mais?
    4- Como planejar uma aposentadoria, investindo em títulos públicos?

  7. Boa Tarde,
    Gostaria de saber para quem indicar a venda de alguns títulos da Eletrobrás , num valor considerável, consegui realizar algumas informações no sentido de que serviriam, os títulos podem ser utilizados para pagto da dívida pública,aumento de capital com intuito de participação para grandes licitações e assim por diante.Possuo tbm letras azuis internacionais,quais seriam os investidores interessados? que ramo? contato? todos os títulos possuem autenticidade e avaliação pericial…….abs

    • Silvio,
      Não conheço ninguém. Observe que muitos desses títulos antigos já não tem mais valor, conforme decisões judiciais sobre o assunto.
      Abs

        • Silvio,
          Não sei… Lembro de ter visto isso uma vez procurando no Google e lendo alguma decisão judicial a respeito. O ideal seria entrar em contato com a própria companhia (e caso eles falem que o crédito não é mais devido, pedir a justificativa e eventual lei ou decisão judicial defendendo o ponto deles).
          Abs

  8. Dia 03/03 baixa em minha conta um valor aplicado no CDB de 600.000.00. Li sobre o tesouro direto. Se o banco oferecer de novo 102 do cdi o rendimento final será igual como no tesouro? Por outro lado , a perda em ambos será a mesma se retirado antes? Parabéns pelo blog

    • Ana Carreiro,
      Mais do que a rentabilidade em si, você já pensou sobre o planejamento pra esses recursos? Se for pra aposentadoria, talvez uma NTN-B seja melhor. Se for pra daqui a 3 anos, talvez uma LTN seja melhor. Aplicação pós-fixada em geral serve pra aplicações de curto prazo.
      Outro ponto é a liquidez. O CDB tem liquidez, ou fica travado até o vencimento? O Tesouro Direto pode ser resgatado semanalmente, praticamente sem taxa.
      Abs

    • Marcos,
      Se fizer um investimento em LTN 010114 (vencimento em 2 anos), cuja taxa está em 10,40%a.a. no Tesouro Direto, você terá aproximadamente R$ 4.850 bruto, ou cerca R$ 4.720 após descontar o Imposto de Renda.
      Abs

  9. Não entendi a parte dos aportes. Tenho uma NTB-PRINCIPAL com vcto em 2015, aplicado em 2009.
    Posso fazer aportes todo mês nessa mesma conta? Ou é gerado um outro título com novas porcentagens, etc..ou seja, vão gerando várias sub contas mas com o mesmo vencto?

    • Elizabeth,
      Você pode comprar títulos na mesma conta sempre que você quiser. Mesmo que você já tenha alguns títulos NTN-B Principal 2015, você pode comprar mais sempre que quiser.
      Abs

  10. Se eu depois de comprar um titulo eu seria obrigado a comprar mais titulos com o decorrer do tempo ou ficaria a meu criterio? poderia eu comparar quantos titulos quizer ? obrigado pela resposta.

  11. ola,estou pensando em investir em titulos publicos,eu compraria um titulo e ñ faria mais nada até o final da data de aplicação,e poderia eu mesmo fazer essas compras sem presisar de um agente de custodia?

  12. Boa noite Ulisses… Gostei muito do seu Blog, perabéns.
    Abri uma conta no BB somente para telo como agente de custodia, pois pretendo invistir em titulos LFT. A questão é que a taxa de custódia esta em 0,5% a.a. Voce acha que vale a pena, tendo em vista o custo dessa taxa?
    Obrigado

    • Gustavo,
      No Tesouro Direto, todos os títulos, independente do agente, ficam custodiados na CBLC (BM&FBovespa) numa conta com o seu CPF. Assim, tanto faz a corretora/banco (agente), ou seja, não tem um que é mais seguro que outro.
      Logo, se já existem vários agentes que não cobram nenhuma taxa, não vejo porque escolher um que cobre. Lembre-se que além dessa taxa do agente, ainda tem 0,1% por negociação e 0,3%a.a. da CBLC.
      Abs

    • Guilherme,
      Em todos esses instrumentos de renda fixa, vc está ganhando juros compostos. Se vc comprar um título público ou aplicar num CDB, é importante reinvestir os recursos sempre que a aplicação vencer para continuar se beneficiando dos juros compostos!
      Abs

    • Júlio César,
      Com certeza é uma boa opção, pelo menos para a parte de renda fixa. É fácil comprar títulos (investimentos adicionais a partir de R$ 200), baixíssimo risco, e ainda tem títulos indexados à inflação de longuíssimo prazo, se interessar.
      Abs

      • Quando invisto em títulos públicos (ex.: LTN/NTN-B), quando vendo minha carteira, a mesma poderá valer menos quando do valor que adquiri? Exemplos: tenho R$ 10.000,00 nos títulos acima citados, por algum motivo posso receber menos que esso valor em função de prêmios em taxa de juros ou deságio?

    • Eloá,
      Não sei quais os investimentos que vc tem hoje, mas os títulos públicos dos quais eu falei nesse artigo são o que existe de mais seguro aqui no Brasil, e o seu rendimento normalmente é superior ao dos CDB’s, fundos de renda fixa/DI de bancos e poupança. Vou falar mais sobre isso nos próximos artigos!
      Abs

  13. Gostei da materia.
    Gostaria de saber se os CDCs dos Bancos rende mais que a poupança e se a diferença de redimentos vale a pena o de maior e quais sao os ricos e desvantagens dos dois tipos de investimentos.

  14. Ótima matéria, parabéns! Entretanto, tenho uma dúvida (que li cabo a rabo o site do Tesouro Direto, mas não obitve a resposta). Minha idéia é fazer aportes mensais de X reais. Para render o famoso juros compostos enfatizados nesse site em vários artigos, se eu comprar o LTN 1111 (exemplo), eu terei que fazer aportes neste mesmo LTN 1111, certo? Não adiantará se eu comprar o LTN 2222 no mês seguinte?
    Abs

    • Ivan,
      Os títulos público já tem juros compostos “embutidos”. No caso específico das LTNs, você as compra por um preço e sabe que elas valerão R$ 1.000 no vencimento. Se você fizer aplicações mensais (parabéns, excelente estratégia!), pode comprar a LTN que quiser (ou até outros títulos) e será beneficiado pela força dos juros compostos. Lembro ainda que para aproveitá-los ao máximo, assim que cada título vencer, re-invista os recursos em novos títulos!
      Abs