Quando vale a pena investir na Poupança?

76
54
Poupança: quando vale a pena?

A Poupança é o investimento mais tradicional do Brasil. É natural que essa condição venha acompanhada de uma série de mitos: mito de que ela é o investimento mais seguro, o mito de que ela rende mais porque não paga imposto, o mito de que quando os juros caem, a poupança se torna a melhor alternativa, etc.

Uma dúvida muito comum é como comparar o rendimento de qualquer investimento com a Poupança.

E a pergunta é excelente! Investir é a arte de comparar e escolher a alternativa que atende melhor as suas necessidades.

Pode parecer simples, mas procurei bastante e não achei essa resposta pronta na internet! Algumas vezes até existem algumas coisas sobre o assunto, mas com linguagem complicada ou de forma superficial. Neste caso os autores mostram como fazer a conta e deixam o trabalho para o investidor. Lógico que as dúvidas continuam.

Chega de “achismo”, mãos a obra!

Comparando a Poupança com o CDI

Para fazer a comparação, é importante lembrar alguns conceitos básicos. A Poupança rende 0,5% a.m. + TR no dia do aniversário (a cada mês) e não tem Imposto de Renda sobre o rendimento.

Para comparar investimentos, o ideal é escolher um indicador de referência (benchmark). A referência mais comum para a renda fixa é o CDI, que também será a nossa escolha. Ainda, sabemos que quase todas as aplicações de renda fixa têm IR sobre o rendimento, e a alíquota diminui com o tempo. Para uma comparação justa, isto deve ser levado em consideração.

Planilha do MS Excel

A planilha acima calcula o rendimento da poupança em relação ao CDI, e não ao contrário. Calcular o rendimento líquido do CDI parece até mais óbvio, mas a maior parte das comparações de retorno costumam ser feitas com o rendimento bruto em relação ao CDI.

Assim não criamos um conceito novo e podemos comparar esses resultados com um CDB que rende 98% do CDI, ou um fundo que rende 95% do CDI, ou uma estratégia que rende 103% do CDI, por exemplo. Dessa forma, consideramos o rendimento da Poupança e somamos o que seria o valor do IR se fossem aplicadas as mesmas regras da Renda Fixa. Assim chegamos a um valor de “Poupança Ajustada”, que pode ser comparado a uma aplicação de renda fixa que rende 100% do CDI, ambas antes da incidência do IR. O gráfico abaixo mostra o desempenho da Poupança em relação ao CDI.

Comparação de Desempenho: Poupança x CDI

Dessa forma, pode-se observar que com o CDI atual de 10,88% a.a., em 3 anos o CDI renderia 36%, enquanto que a “Poupança Ajustada” teria rendido só 27%. O rendimento de uma aplicação de Renda Fixa que rende 100% do CDI seria 25% maior que a Poupança, mesmo levando a isenção de IR na Poupança em consideração. É uma diferença enorme!

Quando vale a pena investir na Poupança?

É importante notar que quanto maior os juros básicos da economia, pior é o desempenho da Poupança em relação às demais aplicações, e vice-versa.

A tabela abaixo também foi elaborada com a planilha acima e mostra o quanto uma aplicação de Renda Fixa deve render, em % do CDI, para ter o mesmo rendimento da Poupança.

Também fica evidente que quanto maior o prazo da aplicação, pior o desempenho da Poupança.

Quanto uma aplicação de Renda Fixa tem que render para igualar a Poupança?

Como podemos observar acima, a Poupança começaria a se tornar um bom investimento de curto prazo quando os juros básicos da economia caíssem para níveis próximos de 8% a.a. Nesse caso, no entanto, há uma grande probabilidade do Governo mudar a regra de remuneração da Poupança para voltar a deixá-la menos atrativa. Essa é uma questão técnica, dado o impacto negativo que uma Poupança atrativa teria sobre todo o Sistema Financeiro Nacional.

Por fim, fica claro que com o amadurecimento da economia brasileira e dos investidores, é muito difícil achar um motivo plausível para alguém que se importa com seus investimentos (como os nossos leitores) continuar investindo na Poupança. Um exemplo disto são os Títulos Públicos no Tesouro Direto, que rendem mais que a Poupança, possuem menor risco e tem liquidez semanal.

Ulisses Nehmi é editor do Blog do Investidor e profissional da área de investimentos

DEIXE UMA RESPOSTA

76 COMENTÁRIOS

  1. Muito bom artigo. Receberei dez mil através de uma indenização. Investir em títulos públicos através do tesouro direto no prazo de um ano renderá mais que a poupança?
    Grato.

  2. Ulisses, a planilha Excel (poupança x CDI) continua valendo com as novas regras para aplicação em poupança ou precisa fazer algum ajuste? Se precisar de ajustes vc poderia enviar o arquivo da planilha pelo meu e-mail?
    Muito obrigado e parabéns pelo trabalho e pelas suas orientações.

  3. Boa tarde Sr. Ulisses.
    Sou bem iniciante nesta área e gostaria de saber em qual dessas aplicações me renderia mais em um prazo de 36 meses com valor aplicado de R$300.000,00.
    Isso descontando IR e taxas administrativa.

    Parabéns pela matéria.

    Abraços

  4. Ola, gostei muito do artigo. Sou leiga no assunto, pretendo fazer um investimento seguro no qual tenha um retorno maior.. meu prazo e de dois e meio a tres anos um investimento em media de uns 1300 a.m. o que você me indica?

    • I and my guys were following the good heufpll tips on your website then before long got an awful feeling I had not expressed respect to the web blog owner for those secrets. All the men had been very interested to read through all of them and have surely been making the most of these things. Appreciate your truly being indeed heufpll as well as for picking this kind of ideal subjects millions of individuals are really eager to discover. My very own honest apologies for not expressing gratitude to you earlier.

  5. Prezado Ulisses,
    Sou funcionário de uma cooperativa de crédito e possuímos um determinado valor investido na poupança de um banco privado e pagamos IR sobre o rendimento. Tenho dúvida se a cobrança do IR é devida, uma vez que a cooperativa de crédito é uma instituição sem fins lucrativos. Pergunto: A tributação é devida ou não?