Como funciona o Tesouro Direto?

77
3166
O que é o Tesouro Direto?

Já explicamos que investir em títulos públicos é muito seguro. Agora vamos mostrar como fazer esse investimento.

O Tesouro Nacional é a área do Governo que emite os títulos públicos federais. Eles criaram em 2002, em parceria com a CBLC, o Tesouro Direto: uma plataforma de compra e venda de títulos públicos para pessoas físicas pela internet. É um canal direto para o investidor, simples, com baixo risco e baixo custo.

A corretora (ou banco, os chamados agentes de custódia) faz a ligação entre o sistema do Tesouro Direto e o investidor. Antes de comprar um título, o investidor deve transferir seus recursos para a corretora, que é a responsável pelo pagamento (liquidação) da operação. Uma vez pago, o título fica guardado (custodiado) na CBLC, numa conta em nome do investidor.

O Tesouro Direto disponibiliza diariamente uma tabela com os títulos públicos disponíveis para venda que podem ser adquiridos pelo investidor. Nessa tabela é apresentada a identificação do título, data de vencimento, preço unitário e taxa.

De maneira similar às ações, os títulos públicos têm um preço unitário. No entanto, para facilitar o investimento de quantias menores, o Tesouro Direto permite que sejam negociadas frações de até 0,2 título (um quinto de título). Para determinar o número de títulos que podem ser adquiridos, divida o valor que deseja investir pelo preço unitário e certifique-se que seja um número múltiplo de 0,2. Por exemplo: se o título custa R$ 800 e você tem R$ 500, pode comprar 0,6 título (0,6 x R$ 800 = R$ 480) e sobram R$ 20 para investir no próximo mês.

Liquidez

Caso seja necessário, é possível resgatar seu investimento antecipadamente vendendo títulos ao preço de mercado. Para isso, o Tesouro Direto garante a recompra semanal de qualquer título às quartas-feiras.

Quando os títulos vencem, o dinheiro é depositado automaticamente na sua conta na corretora, e um e-mail é enviado para alertá-lo. Lembre-se de reinvestir esse dinheiro para continuar se beneficiando do poder multiplicador dos juros compostos.

Tributação

A tributação dos títulos públicos diminui conforme o prazo aumenta, e incide apenas na venda ou vencimento do título. O investidor não precisa se preocupar com o recolhimento dos impostos, que é feito automaticamente pela corretora, mas deve sempre buscar títulos com os prazos mais longos possíveis que atendam suas necessidades. Por exemplo: após 2 anos de investimento, a alíquota cai para 15% dos lucros. Já para investimentos de prazos menores que 6 meses, a tributação é de 22,5% dos lucros.

Custos

Com relação aos custos, existem 3 taxas:

Finalmente, recomendo a leitura do site do Tesouro Direto. As explicações são claras, o site é atualizado com regularidade e as informações são precisas, completas e em linguagem acessível. Existe até um curso virtual e um guia passo a passo. Se ainda tiver alguma dúvida, deixe um comentário aqui!

Ulisses Nehmi é editor do Blog do Investidor e profissional da área de investimentos.

DEIXE UMA RESPOSTA

77 COMENTÁRIOS

  1. Caro Ulisses, por favor me tire uma dúvida e me faça entender o que seria esses títulos e como eu vou possuir livro com esses investimento?
    Quando eu vejo o lucro e como?
    Me desculpe se a pergunta foi besta, mas eu realmente não entendo nada de investimento.

    E também me diga? Eu farei um bom negócio se investir no tesouro direto, já que eu pretendo juntas um dinheiro pra comprar uma casa?

  2. Achei bastante interessante esse assunto. Mano da hora chegou meu colchão novo. Comprei aquele famoso colchão inteligente. Usei esse colchão teurapetico http://ocolchaointeligente.com.br Aí se me ajudou deve diminuir o irritação de alguém. Vê ai se fiz certo o endereço por favor. Alguém de vocês já ouviu falar? Parece que melhora até insonia.