Potencializando seus lucros: o conceito de Juros Compostos

24
4243
Juros Compostos: Crescimento Exponencial

Um dos conceitos mais importantes relacionados a investimentos é o de juros compostos.

Podemos separar os juros em dois tipos: juros simples e juros compostos. A diferença é que nos juros compostos reinvestimos os lucros, e nos juros simples não.

Vamos trabalhar com um exemplo: investindo R$ 100.000 por um ano com um retorno de 10%, temos um lucro de R$ 10.000, somando R$ 110.000.

Nos juros simples, nos apropriamos do lucro do ano anterior e reaplicamos apenas os iniciais R$ 100.000 nas mesmas condições. Assim, teremos novamente um lucro de R$ 10.000 e, com o lucro do ano anterior, somaremos R$ 120.000. Nos juros compostos, reinvestimos o valor inicial do ano anterior MAIS o lucro do ano anterior, ou seja, R$ 110.000. Nesse segundo ano teremos um lucro de R$ 11.000, totalizando R$ 121.000.

A diferença pode parecer pequena, mas ela aumenta com dois outros fatores:

1. Retorno: quanto maior o retorno, maior a diferença. No exemplo anterior, se o retorno for 25% ao invés de 10% ao ano, no final teremos R$ 150.000 nos juros simples e R$ 156.250 nos juros compostos.

2. Tempo: quanto maior o prazo da aplicação, maior a diferença. No exemplo original, se investirmos nas mesmas condições por 5 anos, e não apenas 2 anos, no final teremos R$ 150.000 nos juros simples e R$ 161.051 nos juros compostos.

Os juros compostos fazem com que nossos lucros sejam potencializados tanto com o aumento do tempo como com o aumento do retorno. Se aumentarmos ambos, melhor ainda!

Por isso, busque sempre trabalhar com horizontes de investimento e taxas de retornos que consigam tirar o máximo proveito dos reinvestimento dos lucros. Se o fizer com regularidade, melhor ainda!

Apenas para ilustrar, se alguém com 30 anos estiver pensando em se aposentar aos 50 e fizer uma aplicação de R$ 100.000 a uma taxa de 15% ao ano, no final de 20 anos ele terá R$ 1.636.654, graças aos juros compostos. No regime de juros simples, o montante final seria de R$ 400.000.

A matemática por trás dos juros compostos é simples, normalmente ensinada no ensino médio: exponenciação e crescimento exponencial. No entanto, fique tranqüilo: mais do que dominar a matemática por trás dos juros compostos, o importante é aplicar o conceito que faz com que seus lucros sejam potencializados: reinvestir os lucros.

Ulisses Nehmi é editor do Blog do Investidor e profissional da área de investimentos.

DEIXE UMA RESPOSTA

24 COMENTÁRIOS

    • Mluiza,
      A caderneta de poupança tem juros compostos sim: a cada aniversário mensal o valor da aplicação é atualizado. Assim, no mês seguinte o rendimento é aplicado sobre o valor atualizado do mês anterior, e não sobre o valor aplicado inicialmente.
      Já com relação aos investimentos que rendam 15% aa, a pergunta é um pouco mais complexa. Hoje a taxa Selic está em 12,25%aa, ou seja, o CDI e o rendimento de boas aplicações sem risco está nessa faixa. O nível de 15% aa equivale hoje a algo em torno de 120% do CDI, e para isso é necessário tomar algum risco adicional, considerando o prazo no qual você precisará dos recursos e quanto você tolera perder. Para isso, um planejamento financeiro é fundamental, e ficaria mais fácil identificar se isso deve ser perseguido com um único tipo de investimento, ou com um conjunto de investimentos. Abordaremos como fazer todo esse planejamento aqui no Blog do Investidor!
      Abs

    • Edivaldo,
      Qualquer aplicação financeira (poupança, fundos, ações, etc) tem juros compostos, desde que os lucros sejam reinvestidos. O importante é realmente ter a disciplina de não encarar os ganhos como “dinheiro extra para gastos”, e sim reinvesti-los.
      Abs

      • Sabemos que juros compostos multiplicam os investimentos. Assim, gostaria de esclarecimentos acerca da forma de incidência dos juros compostos sobre os rendimentos de fundo multimercado. Tenho esta dúvida pelo fato de os rendimentos estarem atrelados a cotas, que possuem variação diária. Explico: quanto maior a valorização da cota, maior o rendimento auferido e vice-versa. Nesse panorama, qual a relação dos juros compostos? Não consigo visualizar com clareza em se tratando de fundo multimercado com rendimento variável. Ficaria muito grato com os esclarecimentos.

        Faço este questionamento pois em investimentos que não estão atrelados a “cotas” e possuem rendimentos fixos, tais como poupança, fica fácil visualizar a incidência dos juros compostos (juros sobre rendimentos).

  1. Ulisses,
    eu quero investir de forma pequena (em torno de 1000 R$ p/ ano), e com um prazo em torno de 2 á 3 anos, qual tipo de investimento tu indicaria, de modo que seja o mais rentável possível?