Títulos Públicos: as Letras do Tesouro Nacional (LTN)

621
17850
Letra do Tesouro Nacional (LTN) em 1970

As Letras do Tesouro Nacional são títulos públicos federais pré-fixados sem cupom. Considero esse o título do governo mais simples de todos, porque ele tem uma única característica que o define: o título valerá R$ 1.000 no vencimento.

Assim, o valor investido em cada título equivale ao preço do título (nome técnico: preço unitário ou PU), e o investidor receberá R$ 1.000 de volta no vencimento, que é o valor investido + juros acumulados até o vencimento. O nome técnico desse preço unitário fixo no vencimento é valor de face.

Quando compramos uma LTN por R$ 800, significa que ganharemos R$ 200 até o dia do seu vencimento. Dependendo do prazo para esse vencimento, isso pode ser muito ou pouco, e a maneira de medir isso é através da taxa de juros.

Se o prazo for de 1 ano, a taxa de juros é 25% (R$ 200 pra ganhar em cima de R$ 800 investidos). Como estamos falando de 1 ano, a taxa anualizada é a mesma: 25% a.a. Já se o prazo fosse de 2 anos, o retorno seria o mesmo, porém a taxa de juros anualizada seria 11,8% a.a.

Assim, observamos que existe uma taxa de juros embutida nessa diferença entre o preço unitário atual e o valor de face, e que essa taxa depende do prazo de investimento.

Isso explica o significado da taxa apresentada na tabela de Preços e Taxas do Tesouro Direto, ao lado das LTNs: é a taxa implícita anualizada entre o preço unitário atual do título e o valor de face no vencimento. Simples, não?

Risco

Uma dúvida comum, no entanto, é: “Se já sei que vou ganhar a diferença entre o preço unitário atual e o valor de face, qual o risco da LTN?”

A LTN tem risco, ou melhor, incerteza se o investidor precisar vendê-la antes do vencimento. Se hoje uma LTN que vence em 2 anos custa R$ 800, nada impede que na semana que vem ela esteja sendo negociada por R$ 790, mesmo que no vencimento o seu valor continue sendo R$ 1.000. Nesse caso, se o investidor precisar vendê-la, corre o risco de perder dinheiro.

Lembre-se que quanto mais próximo do vencimento, menor a oscilação do preço unitário da LTN, isto é, menor o risco/incerteza. Isso fica bastante evidente quando observamos um gráfico de preços.

Vencimentos

Em geral, existem LTNs com vencimento no primeiro dia de cada trimestre. No entanto, as mais comuns têm vencimento no primeiro dia de cada ano, e não costumam ter prazos superiores a 5 anos. Como os demais títulos públicos, as LTNs têm códigos bastante intuitivos: a LTN 010114, por exemplo, é uma LTN que vence no dia 01/01/2014.

Como calcular o preço

Apesar de termos falado sempre do preço, que é mais fácil para entender os conceitos, o mais comum é o caminho contrário: calcular o preço com para uma taxa de juros implícita. Para calcular o preço unitário da LTN, bastam duas variáveis: a taxa de juros e o número de dias úteis para o vencimento.

Para facilitar todos os cálculos envolvidos (calcular o número de dias úteis entre duas datas, chegar da taxa ao preço, do preço à taxa, calcular a rentabilidade entre duas datas, etc), montamos uma planilha que pode ser baixada e utilizada livremente.

Download da Planilha de Títulos Públicos do Blog do Investidor

O site do Tesouro Direto tem um PDF que explica a parte mais técnica dos cálculos, caso haja interesse.

Nos próximos artigos abordaremos os demais títulos públicos, um a um. Em seguida, chegaremos às estratégias com títulos públicos, incluindo como comprar, como escolher o melhor título, o melhor vencimento, como avaliar o rendimento, etc. Acompanhe!

Ulisses Nehmi é editor do Blog do Investidor e profissional da área de investimentos.

DEIXE UMA RESPOSTA

621 COMENTÁRIOS