Como declarar Fundos de Investimento no Imposto de Renda?

Escrito por: Ulisses Nehmi | Data: 13/03/2012 | Categoria: 62 comentários
Como declarar Investimentos no Imposto de Renda?

Série Como Declarar Investimentos no Imposto de Renda | Fundos de Investimento

Este artigo apresenta um resumo sobre a tributação dos Fundos de Investimento tradicionais e um guia passo a passo de como incluí-los na Declaração Anual de Imposto de Renda Pessoa Física.

 

Tributação

Para efeito de tributação, os fundos de investimento tradicionais são classificados em 3 categorias: fundos de curto prazo, fundos de longo prazo e fundos de ações, cada um com uma tributação.

  1. Fundos de Curto Prazo
    Esse é o tipo menos comum. Em geral, apenas alguns fundos “Referenciados DI” ou com a expressão “Curto Prazo” no nome entram nessa categoria. Os ganhos desses fundos são tributados com alíquota de 22,5% para aplicações resgatadas em até 6 meses e 20% para as demais. Além disso, esses fundos têm o comecotas, que é um pagamento de IR que ocorre nos meses de Maio e Novembro, com alíquota de 20% sobre os ganhos acumulados.
  2. Fundos de Longo Prazo
    Esse é o tipo mais comum. Se você não sabe qual a classificação tributária do seu fundo, ou acha que ele não é de curto prazo e nem de ações, provavelmente o fundo pertence a esta categoria. A principal diferença para os fundos de curto prazo é que esses fundos têm alíquotas menores, que caem até 15% dos ganhos para aplicações com mais de 2 anos, de maneira similar à tributação de renda fixa. Outra diferença é que o comecotas, que também incide periodicamente nos meses de Maio e Novembro, tem uma alíquota mais baixa: 15% dos ganhos acumulados.
  3. Fundos de Ações
    Todos os fundos de ações e alguns raros casos de fundos multimercado entram nessa categoria. A tributação desses fundos é a mais vantajosa e mais simples de todas, com o IR sendo cobrado apenas no momento do resgate e com uma alíquota de 15% sobre os ganhos.

É importante enfatizar que o investidor não precisa conhecer a fundo os detalhes da tributação, basta avaliar as alíquotas que incidirão sobre os lucros no momento da escolha. Nos fundos de investimento tradicionais, todo o IR é recolhido na fonte, ou seja, o investidor já recebe o valor líquido e não precisa de nenhuma ação em relação à tributação, além da declaração.

 

Declaração anual de Fundos de Investimento no Imposto de Renda

Tenha em mãos o Informe de Rendimentos enviado pela instituição administradora do fundo, ele contém todos os dados que serão necessários. Se ele não chegar pelo correio, entre em contato com o administrador do seu fundo.

 

I. Como declarar os ganhos (rendimentos) em Fundos?

O valor dos ganhos corresponde à soma do rendimento líquido (após o desconto do IR) dos resgates. Note que no caso de fundos de Curto e Longo Prazo, o valor dos rendimentos também é atualizado quando há cobrança do comecotas. Assim, é importante declarar exatamente o valor que aparece no Informe de Rendimentos. No programa IRPF 2012:

  1. Entre na opção Rendimentos Sujeitos à Tributação Exclusiva/Definitiva
    IRPF - Rendimentos Sujeitos à Tributação Exclusiva/Definitiva
  2. Clique no botão à direita de 06. Rendimentos de aplicações financeiras
    IRPF - Rendimentos Sujeitos à Tributação Exclusiva/Definitiva: Aplicações Financeiras
  3. Clique no botão Novo
    IRPF - Rendimentos: Novo
  4. No campo Especificação, digite uma descrição contendo o nome e o CNPJ do administrador do(s) fundo(s) conforme consta no Informe de Rendimentos. Neste campo não é necessário especificar cada fundo individualmente, somente a soma total administrador.
  5. No campo Valor, digite o valor total dos ganhos (rendimento) no fundo exatamente como consta no Informe de Rendimentos. Neste campo não é necessário especificar cada fundo individualmente, somente a soma total por administrador.
  6. Clique em OK
  7. Se necessário, repita o procedimento dos passos 3 a 6 para incluir o rendimento de fundos de outra administradora, conforme a figura abaixo
    IRPF - Rendimentos Sujeitos a Tributação Exclusiva - Quadro Auxiliar
  8. Clique em OK

 

II. Como declarar o saldo investido em Fundos?

O valor que deve ser declarado na seção de Bens e Direitos corresponde à soma dos valores investidos nos fundos, e é reduzido proporcionalmente quando são feitos resgates. Ainda, no caso de fundos de Curto e Longo Prazo, o valor do saldo apresentado no Informe de Rendimentos é atualizado quando existe cobrança de comecotas. Já no caso de fundos de Ações, o valor não muda com o tempo, exceto pelos valores de novas aplicações ou resgates. No programa IRPF 2012:

  1. Entre na opção Bens e Direitos
    IRPF - Bens e Direitos
  2. Procure entre as opções existentes se existe alguma linha com a discriminação “Fundo XYZ, CNPJ 99.999.999/0001-99. Administrador: ABC DTVM, CNPJ 99.999.999/0001-99″. Caso já exista essa linha, selecione essa linha, clique no botão Editar e pule para o passo 5 abaixo. Caso não exista, clique no botão Novo
    IRPF - Bens e Direitos - Detalhes de Fundos
  3. No campo Código, escolha uma das opções a seguir: 71 – Fundo de Curto Prazo; 72 – Fundo de Longo Prazo e Fundo de Investimentos em Direitos Creditórios (FIDC); ou 74 – Fundo de ações, Fundos Mútuos de Privatização…
    Obs.: Se você não souber a classificação correta, procure pela mesma na lâmina ou regulamento do fundo. Em geral, para os fundos de ações a opção correta é a 74 e para outros fundos a opção correta é a 72.
  4. No campo Discriminação, digite uma descrição contendo o tipo, o nome e o CNPJ do fundo, e inclua também os dados do administrador do fundo conforme consta no Informe de Rendimentos
  5. No campo Situação em 31/12/2011, digite o valor do saldo no fundo exatamente como consta no Informe de Rendimentos
    Obs.: Normalmente esse valor não é igual ao saldo que aparece no extrato de dezembro
  6. Clique em OK
  7. Se necessário, repita o procedimento dos passos 2 a 6 para incluir as aplicações em outros Fundos de Investimentos
    IRPF - Bens e Direitos - Fundos de Investimentos

Você tem mais algum investimento? Veja o guia passo a passo para declarar outros investimentos no seu Imposto de Renda!

Ulisses Nehmi é editor do Blog do Investidor e profissional da área de investimentos.

Artigos relacionados
62 Comentários
  1. Wellgtob, em 13/03/2012

    No meu caso tenho varios fundos de investimentos em ações do Banco do Brasil. Posso declarar pela soma do valor total investido nos fundos ou devo discriminar um a um?

    • Ulisses Nehmi, em 21/03/2012

      Wellgtob,
      Se todos os fundos tiverem a mesma classificação tributária (ex.: todos de ações) e forem do mesmo administrador (ex.: todos no BB), pode declarar tudo junto. De qualquer forma, o ideal é que sejam lançados um a um.
      Abs

  2. ADEILSON SDOUZA, em 20/03/2012

    GOSTARIA DE SABER SE POSSO LANÇAR O VALOR DO IMPOSTO QUE FOI RETIDO NA FONTE REFERENTE A APLICAÇÃO FINANCEIRA DI.
    POIS ESTE DADO CONSTA NO INFORME DE RENDIMENTO FINANCEIRO, QUE RECEBI DO DO BANCO.

    AGUARDO BREVE RESPOSTA

    GRATO

    • Ulisses Nehmi, em 21/03/2012

      Adeilson,
      No caso dos rendimentos em fundos, você deve seguir o roteiro e lançar apenas o rendimento líquido, ou seja, o rendimento bruto menos o imposto retido na fonte.
      Abs

  3. Major, em 21/03/2012

    Ulisses,

    Como seria a atualização dos valores no caso de ETFs ?

    Se declara no numero de quotas e coloca-se no valor a multiplicação desta pelo preço médio assim como fazemos com as ações?

    Abraço!

    • Ulisses Nehmi, em 23/03/2012

      Major,
      É parecido com ações, mas com alguns detalhes. Devo postar na semana que vem.
      Abs

    • Ulisses Nehmi, em 23/03/2012

      Mas sobre a sua pergunta, é isso mesmo!

  4. Márcio, em 21/03/2012

    Ulisses tenho meu dinheiro aplicado em um fundo de investimento no bradesco a 3 anos. Até hoje nunca retirei dinheiro do fundo apenas coloco.

    Gostaria de saber, se na hora de fazer meu imposto de renda apenas preencho o campo – Rendimentos Sujeitos à Tributação Exclusiva/Definitiva.

    Onde preencho o campo com os dados do banco, cnpj e tipo de fundo e o valor existente no fundo no dia 31/12/2011.

    Ou se também tenho que preencher obrigatoriamente o campo Bens e Direito, dando os dados do fundo e os valores em 31/12/2010 a 31/12/2011.

    Agradeço pela sua ajuda;

    Márcio

    • Vitor Nagata, em 22/03/2012

      Márcio,
      O item II (“Como declarar o saldo investido em Fundos?”) deste artigo demonstra como declarar fundos de investimento na seção “Bens e Direitos”.
      Abs!

  5. Sandra, em 22/03/2012

    caro ulisses,

    financiei um apto de 1992 a 2006. como o saldo era atualizado pela tabela PRICE, descobri um saldo residual que refinanciei em junho de 2006 e continuo pagando.

    venho declarando este apto, todos esses anos, na ficha de bens e direitos, e também na ficha de dívida e ônus, com informações sobre o valor pago naquele ano, o saldo e nº de prestação ainda a vencer, a instituição financeira etc.

    atualizei o valor do apto na declaração de IR de 2006, quando a CEF fez a reavaliação dele para o refinanciamento. e daí para a frente, não mexi mais no valor.

    eu deveria ter acrescido ao valor do apto as prestações do refinanciamento que paguei a cada ano? como faço para atualizar o valor do apto, que está totalmente defasado?

    obrigada por sua orientação,

    sandra

    • Ulisses Nehmi, em 23/03/2012

      Sandra,
      Como isso foge da minha área de especialidade, antes que eu fale alguma besteira, sugiro procurar alguém especializado nesse assunto.
      Abs

  6. Sandra, em 22/03/2012

    caros ulisses,

    entreguei minha declaração hoje, mas percebi que esqueci de declarar os rendimentos da nota fiscal paulista.

    os valores são pequenos – $310 de crédito + $20 de prêmio. preciso retificar minha declaração para incluir esses valores? se sim, terei problemas por fazer essa retificação?

    Agradeço sua orientação.

    sandra

    • Ulisses Nehmi, em 23/03/2012

      Sandra,
      A priori, é fácil fazer a retificação. Nunca tive problemas com isso.
      Abs

  7. Marcos, em 23/03/2012

    Recebi um informe de rendimentos financeiros onde tenho Rendimentos Isentos ano 2010 zerado ano 2011 zerado e rendimento liquido no valor de 2322,00
    Rendimento sujeito a tributacào exclusiva Saldo ano 2010 zerado 2011 zerado e rendimento l;iquido 12652,38
    Informacòes complementares saldo ano 2010 zerado 2011 zerado rendimentos 14885,15 e imposto retido na fonte 2232,77
    gostaria de saber passo a passo como declaro este informe

    • Ulisses Nehmi, em 26/03/2012

      Marcos,
      Sugiro que leia esse artigo novamente e explique exatamente qual é a sua dúvida.
      Abs

  8. cristina almeida, em 30/03/2012

    Duvida: a transferencia de fundo de ações pode ser feita pelo custo de aquisição e a instituição partilhar sem considerar resgate?
    ja foi transitado em julgado a partilha e precisamos fazer as transferencias para os herdeiros e fazer a declaracao final onde consta ações e uma parte proporcional bem maior fundos de açoes. Sei que as ações podemos declarar pelo custo de aquisição ( media ponderada) e só o herdeiro pagar o ganho de capital na futura alienação.
    Como declaro o valor das cottas do fundo de ações – pelo valor de aquisição declarado no ultima declaração ou a instituição como com fundos de investimento , por ser tambem retido na fonte, ja recolhe o IR SOBRE O VALOR DE MERCADO?
    Pode um bem retido na fonte ser transferido na declaracao pelo valor de custo do de cujus e a instituição na venda recolher pelo custo ?

    • Ulisses Nehmi, em 07/04/2012

      Cristina,
      Não entendi muito bem a pergunta, mas no caso de fundos de investimento, a instituição administradora é a responsável pelos recolhimentos e envio do Informe de Rendimentos. Se a partilha já foi comandada, a administradora deve ter enviado os Informes de Rendimento correspondentes. Se for o caso, entre em contato com a administradora para esclarecer como fica essa situação.
      Abs

  9. Julio Oliveira, em 02/04/2012

    Dúvidas: Em 06/2011 resgatei meu Fundo Mútuo de Privatização – FGTS – da Vale do Rio Doce, cujo saldo retornou p/ a minha conta do FGTS. Sendo que este dinheiro foi utilizado p/ a compra de um imóvel no mesmo ano. Na operação de resgate foi descontado do saldo bruto um valor referente a IR. Li em alguns artigos que não é necessário declarar/informar este Fundo quando o resgate da aplicação retorna para o FGTS. Esta informação esta correta? Caso esta informação esteja correta devo declarar o imposto retido na operação? Onde?

    • Ulisses Nehmi, em 07/04/2012

      Julio,
      Entendo que se o saldo voltou para a sua conta do FGTS e você não recebeu um Informe de Rendimentos sobre a aplicação no FMP/FGTS, então não precisa se preocupar com isso. Por outro lado, quando é feito o resgate do FGTS, o valor precisa ser declarado como rendimento isento. Vale a pena buscar o auxílio de um especialista.
      Abs

      • Julio Oliceira, em 09/04/2012

        Obrigado!

        • Eugenio, em 29/03/2014

          Boa tarde Ulisses
          Tenho o mesmo problema, e o administrador do FMP FGTS também diz, não precisa declarar o retorno, só que o resgate deve ser declarado em isento, só que o CNPJ tem que ser da CAIXA ou da Empresa depositaria, e como encontra um especialista neste tipo de duvida…..

  10. Judy, em 05/04/2012

    Ótimo o seu Blog!

    • Ulisses Nehmi, em 07/04/2012

      Judy,
      Muito obrigado pelo comentário!
      Abs

  11. Roberta, em 06/04/2012

    Ulisses,
    Em 2011 o saldo no meu fundo de investimento caiu pela metade em relação a 2010 pois efetuei alguns resgates ao longo do ano. Devo declarar essas saídas?

    • Ulisses Nehmi, em 07/04/2012

      Roberta,
      Não precisa declarar as saídas, mas devem ser lançados os rendimentos e o saldo de acordo com o Informe de Rendimentos.
      Abs

  12. Carlos, em 07/04/2012

    o imposto de renda descontado da minha aplicação em renda fixa no itaú eu declaro junto com o q foi descontado dos meus rendimentos do INSS (minha única fonte). Enfim, tenho direito a incluir esse IR da renda fixa para ter direito à restituição? abs

    • Ulisses Nehmi, em 09/04/2012

      Carlos,
      Não dá pra juntar. O imposto de renda sobre as aplicações em fundos não podem ser compensados ou incluídos junto com o INSS.
      Abs

  13. Sandro, em 10/04/2012

    Sou sócio de uma empresa, com minha esposa. Ela é proprietária e declara em separado. Ao longo dos anos investi em um Fundo Referenciado DI em uma aplicação em nome da empresa. Agora pretendo comprar um apartamento à vista com este dinheiro, mas nunca o declaramos, nem no IR da empresa, nem nos nossos IRPF. Como posso faze-lo para não caracterizar uma origem desconhecida do dinheiro? São 180.000,00… Obrigado.

    • Ulisses Nehmi, em 14/04/2012

      Sandro,
      Se você investiu em nome da empresa, isso deveria estar contabilizado nas demonstrações financeiras da empresa, e caso ela tenha lucro acumulado, você pode distribuir esse lucro para os sócios. Sugiro que consulte o seu contador.
      Abs

  14. fabio, em 12/04/2012

    Ulisses, onde declarar o imposto de renda retido na fonte, resultado de um ganho de um fundo de investimento que declarei em bens e direitos e tb nos rendimentos sujeitos a trib. exclusiva?

    • Ulisses Nehmi, em 14/04/2012

      Fábio,
      No caso de fundos de investimento, você só declara o valor do ganhos líquidos de IR na parte de rendimentos sujeitos à tributação exclusiva e o valor investido no final do ano na parte de bens e direitos, como mostra o artigo. Se aparecer no seu Informe de Rendimentos o IR retido na fonte, essa informação é só para sua informação (e você ver o tamanho da mordida do leão… rsrs), mas não tem que lançar na declaração anual.
      Abs

  15. Leila, em 14/04/2012

    Ulisses,
    tenho um apartamento que adquiri por R$140.000,00 com R$ 90.000.00 de recursos próprios e R$ 60.000,00 financiado pela CEF em 2007. Ano passado ao invés de continuar declarando os R$ 140.000.00 na Declaração de Bens e Direitos, declarei o saldo devedor da CEF R$ 46.000,00, como devo declarar meu imóvel este ano?
    Obngado desde já
    Leila

    • Vitor Nagata, em 26/04/2012

      Leila, recomendo consultar um profissional especializado no assunto.
      Abs!

  16. Andre Rodrigues, em 19/04/2012

    Ulisses,

    Por favor, veja se pode me ajudar nessa:

    Em 2011 um fundo de investimento mudou de gestor e o administrador ficou o mesmo. A administradora enviou dois informes; um com saldo em 2010 e em 2011 zerado (referente ao velho gestor), e outro com saldo de 2010 zerado e em 2011 com saldo (referente ao novo gestor).

    Há algo em especial nisso, como devo declarar? O que acho que seja correto é informar o saldo de 2010 e 2011 “juntando os dois IR”, pois o fundo e o mesmo: mesmo CNPJ, administrador e nome.

    • Vitor Nagata, em 26/04/2012

      Andre,
      A forma que você falou está correta! Como o CNPJ do fundo e do administrador não mudou, não há problemas.
      Abs!

  17. Silvana, em 22/04/2012

    Parabéns pelo Blog!!!
    Me formo este ano em Ciências Contábeis e faço Declaraçãoes todos os anos e sempre mantenho-me informada.
    Abraço.

    • Vitor Nagata, em 26/04/2012

      Silvana, agradecemos pela mensagem!
      Abs!

  18. Luiz, em 23/04/2012

    Não tenho ações, mas invisto em Fundos de Investimento em Ações. Sou obrigado a declarar IR todo ano? Em quais circunstâncias terei que declarar?

    • Vitor Nagata, em 26/04/2012

      Luiz, você deve declarar de acordo com o guia desta página.
      Abs

  19. BENEDITA, em 28/04/2012

    RECEBI DA COINVALORES UM COMPROVANTE DAS OPERACOES REALIZADAS. NELA CONSTA UM CODIGO 5557 TOTAL BRUTO E IR NAO HA NELE O VALOR DE RENDIMENTO. COMO DECLARAR?

  20. Tais, em 28/04/2012

    Boa noite! Ha alguns anos atras, investi um pequeno valor em uma corretora de títulos e valores mobiliários (ações do grupo Vale). Nunca fiz nenhum saque. Recebi o relatorio anual para declarar apenas os saldos, pois não tem rendimento líquido. Aonde devo declarar no Imposto de Renda?

  21. Felipe, em 12/08/2012

    Olá. Nao declaro imposto de renda. Tenho 25 mil na poupança e queria mudar pra outro investimento. Qual o risco que corro em relação ao leão?

  22. Vitor, em 21/11/2012

    Ulisses, não declaro IR. Este ano comprei menos de mil reais em cotas de um Fundo de Investimento, que ainda possuo. Preciso declarar IR apenas para declarar o patrimônio adquirido? Mesmo sendo um valor baixo?

    • Ulisses Nehmi, em 02/12/2012

      Vitor,
      Provavelmente não, mas pra ter certeza é necessário consultar quais as regras para se enquadrar como ISENTO. Veja essas informações no site da Receita Federal.
      Abs

  23. Robson, em 08/03/2013

    Amigo, meu Pai resgatou o dinheiro das ações que ele tinha. Estou com duvida, em qual campo da declaração eu coloco o valor que ele recebeu e o valor retido na fonte?
    Seu Blog está me ajudando muito. Abç’s.

  24. João Gomes, em 09/03/2013

    Ola gostaria de como faço para declarar uma aplicação Fundo Referenciado DI que apliquei e dois meses depois retirei e comprei um apartamento como devo lançar isto.
    desde ja obrigado.

  25. SIDNEI, em 21/03/2013

    Tenho uma aplicação em fundo de renda fixa DI; como restituir o imposto retido na fonte desta aplicação?

  26. rafael cunha, em 27/03/2013

    declarei errado um fundo código 72 como sendo código 71. Haverá algum problema?

  27. Luiz Mecucci, em 08/04/2013

    boa tarde,
    Apliquei no Hiperfundo Bradesco em 2012, tenho que declarar mesmo não havendo saques e baixas do mesmo?
    abraços,

  28. Paula Ferreira, em 24/04/2013

    O IR retido ssssobre aplicaçõs financeiras pode ser restituido?

    Obrigada

  29. robson, em 26/04/2013

    Entao eu resgatei o meu fundo de invetimento no banco do brasil, no valor de 26500,00 e ficou redito um valor, a pergunta é a seguinte como eu declaro isso no meu irpf,

  30. Claudia, em 18/07/2013

    Olá!!! Parabéns pelo Blog,é muito explicativo.Porém como sou bem leiga tenho uma duvida…
    Passo longe de ganhar R$ 24.556,65 por ano más tenho pouco dinheiro em um fundo de investimento,tenho alguma obrigação de informar ao IR,pois nunca fiz isso porque sempre ganhei pouco.
    Agradeço desde já !

  31. jose ricardo, em 20/11/2013

    Å corretora de um banco q eu opero nå bolsa passou para receita que eu tive um rendimento de 81mil sendo liquido tributaveis sendo que esse valor referese ao valor das operacoes de vendas agora å corretora nao quer fazer å retifica que e necessario. o que eu devo fazer?

  32. jose ricardo, em 20/11/2013

    Deveria eu procurar um advogado e abrir um processo contra essa corretora, sendo q ja fiz de tudo para ela retificar essas informacoes errada .

  33. Octavio, em 19/02/2014

    Bom dia,

    Eu recebi o informe do banco, porém tenho uma dúvida. Em relação aos rendimentos líquidos sujeitos a tributação exclusiva de um fundo no qual eu ainda não efetuei o resgate, deverei pagar os 15 % sobre esses rendimentos? Ou é só quando há o resgate?

    Se for assim, o rendimento que já não era tão bom ficou equiparado com a poupança.

    Obrigado.

  34. Fabio, em 10/03/2014

    Tenho alguns investimentos em renda fixa, multimercado e DI.
    1) Sempre lanço os saldos destas aplicações na area de bens, portanto, gostaria de saber se preciso lançar em algum outro local.
    2) O imposto de renda já retido ao longo do ano sobre estas aplicações deve ser lançado em que area ? Ele poderá ser considerado no cálculo de uma eventual restituição ?

    Obrigado.

  35. Eugenio, em 29/03/2014

    Ulisses
    Este blog não funciona mais?

  36. ACJ, em 14/04/2014

    DEVO DECLARAR “ESTOQUE DE PERDAS A COMPENSAR”? TIVE RENDIMENTO ZERO NO FI EM ACOES E CONSTA NO INFORME O SALDO DE ESTOQUE DE PERDAS, DEVO MENCIONAR NA MINHA DECLARACAO? OBRIGADA

  37. Élida, em 11/12/2014

    Artigo bem útil para nós investidores. Parabéns pelo belo site.

    Minha página: http://investiremacoes.net.br/

  38. Marcos Rezende, em 19/12/2014

    Olá,

    Belo material informativo, estão de parabéns!

    E se tiver resultados negativos com os Fundos de Invest.?

    O resgate foi feito com menos de 30 dias da aplicação e não li nada de IOF.

Deixe seu comentário

*

Receba as novidades do Blog do Investidor