A maior dica de investimento para iniciantes: Não invente. Invista em Renda Fixa.

6
5245

Vejo cada vez mais amigos e familiares meus se interessando por investimentos, me perguntando, se informando e etc.

Acho isso muito bom, mostra que estamos no caminho certo. E talvez até o Blog do Investidor tenha uma pequena colaboração nisso.

Mas algo interessante é que, nas perguntas que me fazem, eu sempre tento responder “O que a pessoa quer saber”, e não “O que a pessoa me perguntou”. A verdade é que no início as pessoas não sabem direito o que perguntar. As dúvidas são muitas, a desconfiança é grande, e as promessas e esperanças irreais (para não dizer falsas) são frequentes.

Afinal, o que os investidores iniciantes querem realmente saber?

Dentre diversas perguntas, temos: “Onde faço um curso para investir em ações?”, “Você acha um bom momento para comprar ações?”, “Dólar vai subir?”, “Bitcoin vale a pena?”, “Você acha uma boa comprar ação X?”, “Tesouro Direto dá dinheiro?”, “Me indica um investimento com alto rendimento e baixo risco”, “Qual a dica do momento?”.

Quem está iniciando sempre busca por um atalho, ou uma forma rápida de entender e de investir bem. Não quer gastar tempo, não quer se preocupar, mas quer sempre fazer o melhor investimento possível. Todo mundo quer ler o livro “Como investir e ficar rico for dummies”, e melhor ainda se tiver apenas 1 página.

O problema é que, principalmente no início, as pessoas que se interessam pelo assunto são bombardeadas de informações de amigos e pesquisas na internet (estou considerando que a opinião do gerente do banco já está sendo devidamente ignorada).

E é difícil separar o joio do trigo, ou seja, o que realmente é bom e faz sentido para ela.

Neste artigo eu vou tentar simplificar ao máximo o objetivo da grande maioria que quer iniciar no mundo dos investimentos, mas que muitas vezes não sabe onde começar.

 

A maior dica de investimentos para iniciantes

A maior dica que eu posso dar, e a resposta para quem quer começar a investir é: Esqueça ações. Esqueça bolsa. Esqueça risco. Não invente. Invista em renda fixa.

É sério, vou repetir de novo: Se você está começando a investir agora e não tem ideia como as coisas funcionam, não invente, invista em renda fixa!

Não concorda ou acha que eu simplifiquei demais?

Bom, faço uma analogia para demonstrar meu ponto.

Imagina que você está doente e vai no médico e explica os seus sintomas. Qual pergunta traz o melhor resultado?

  1. “O que devo fazer?”
  2. “Me ensina o que você faz em 15 minutos”
  3. “Me recomenda um livro ou curso para eu me auto diagnosticar”
  4. “Li na internet que meus sintomas são de tal doença e pra isso preciso tomar o remédio X, o que você acha?”

No caso deste artigo, estou respondendo a pergunta 1, e que atende a grande maioria dos sintomas das necessidades de investimento do brasileiro.

 

Investir em renda fixa realmente é a melhor opção?

Vivemos num país com um dos maiores juros nominais e reais do planeta, e por isso você brasileiro tem uma oportunidade única:

A melhor opção de investimento é simples, acessível e tem baixo risco. E ela se chama RENDA FIXA.

Não acredita? Olhe esse gráfico abaixo:

cdi e ibov

Sim, o cinza é o Ibovespa, e o laranja é o CDI.

Ah, e você nem precisa saber o que é CDI. Basta saber que grande parte dos investimentos em renda fixa rendem um pouco mais ou um pouco menos que ele.

 

Não concordo, investi em ações e ganhei muito mais

Claro, há momentos que investir em ações pode ser bem mais vantajoso.

Quem investiu por volta de 2002 e resgatou no início de 2008, por exemplo. Ou no começo de 2009 e resgatou em 2010. Ou até em 2016.

Também tem o fato de que existem diversas ações diferentes.

Mas as perguntas que eu faço são: você acha mesmo que você tem a competência/sorte para acertar o próximo ótimo momento para investir em ações? Ou quando a ação X vai subir muito?

E para quem já acertou um bom momento: Você acha mesmo que tem um dom natural e continuará acertando sempre?

Na renda fixa não é preciso nada disso, porque não tem momento bom para entrar ou sair, toda hora é boa para investir ou resgatar.

 

Ah, mas os juros estão caindo!

Estão e não estão.

Não vou entrar na discussão sobre como a taxa de juros futuro irá se comportar, ou tentar adivinhar como estará daqui a 10 anos. Nem nos conceitos de juros reais e nominais. O fato é que a taxa ainda é bem alta e eu não vejo motivos pra termos taxas baixíssimas ou juros reais próximos a zero. Mesmo com inflação baixa, mesmo com um ciclo de baixa de juros.

Mas essa questão é bem mais complexa, e não é o objetivo deste artigo.

Pode ser que muita coisa mude no meio do caminho, mas até lá (algo que pode levar décadas), Renda Fixa ainda é o melhor investimento para iniciantes.

 

Ok, entendi. E agora, onde invisto em renda fixa?

Basicamente você tem 3 opções: tesouro direto, títulos de renda fixa e fundos de renda fixa.

Não sabe a diferença? Segue resumo do resumo resumido:

  • Tesouro direto: rendem menos, mas tem maior liquidez. Não precisa ficar renovando sempre.
  • Títulos de renda fixa (CDB, LCA, LCI, LC, etc): rendem mais, mas não tem liquidez, e tem sempre que ficar renovando quando vence. Possuem um certo risco, mas são garantidos pelo FGC.
  • Fundos de renda fixa: são intermediários entre os 2 anteriores, pois rendem mais que tesouro direto e menos que títulos de renda fixa. Normalmente possuem menor risco que os títulos de renda fixa e possuem maior liquidez que eles. Não precisa renovar nunca.

Lembrando que essas 3 opções podem ser adquiridas através de plataformas de investimento, tais como XP, Órama, Rico, Easynvest e etc.

Se você quiser receber nossos próximos artigos assim que eles forem escritos, cadastre seu e-mail abaixo. Fique tranquilo, nós não enviamos spam.

Vitor Nagata é editor do Blog do Investidor e profissional da área de investimentos.

LEAVE A REPLY

6 COMMENTS

  1. Bom texto. Só não colocaria o Tesouro Direto como renda fixa de uma maneira tão simplificada. Pela descrição apresentada nota-se que se refere ao Tesouro Direto Selic (antigo LFT). Como o Tesouro Direto não é um título mas, um conjunto e cada um com suas particularidades, acho que deveria ter sido mais específico. O leitor pode acabar comprando um Tesouro Direto +IPCA, perdendo dinheiro por não entender a mecânica dele e comprometendo seu patrimônio. Já o Tesouro Direto SELIC praticamente não tem mecânica, já que o retorno é a SELIC.
    E na descrição cita que o Tesouro Direto não apresenta bons ganhos. Conheço gente que ganhou 40% em 1 ano no Tesouro Direto +IPCA, de 2015 para 2016. Mas como falei acima, se não conhecer a mecânica pode perder também.

    • Sandro, muito obrigado pelo comentário!
      Realmente, concordo com tudo o que você disse.
      Infelizmente não consigo entrar em todos os detalhes em um artigo, senão ela seria infinito. Neste caso, quando citei “tesouro direto”, estava dentro de um resumo do resumo resumido, apenas para demonstrar as possibilidades, e deixei um link para outro artigo mais explicativo.
      Outro motivo foi que eu tentei deixar este artigo o mais para iniciantes possível, o que você com certeza não é. A verdade é que estou apenas considerando o Tesouro Selic, e esse sim irá sempre render menos que fundos de renda fixa decentes e títulos de renda fixa bons. E explicar o conceito de pós e pré fixado não era o objetivo do artigo.
      Abs!

  2. Estou querendo iniciar meus investimentos. Pra mim tudo isso ainda é bem difícil, entendo nada vezes mil. Você citou plataformas como a XP. Eles conseguem nos dar um bom direcionamento? Pois quando vou em bancos sempre fico com o pé atrás achando que os investimentos que eles oferecem são sempre mais benefícos a eles do que a mim